COMEÇAMOS O ANO SEM A PRESENÇA DO JACINTO DE ÁGUA ENTRE A BARRAGEM DO MONTIJO E A FRONTEIRA COM PORTUGAL

O troço entre a barragem do Montijo e a fronteira portuguesa fica sem a presença aparente de jacinto de água após a conclusão dos trabalhos de remoção em torno da Puente de los Suspiros em Lobón.

Apenas os últimos dez quilómetros a montante da lomba de velocidade Talavera permanecem por libertar, que se destinam a ser limpos antes de a temperatura da água começar a subir, a Confederação do Guadiana informa num comunicado de imprensa.

A descida da temperatura da água (actualmente cerca de 10ºC) torna a remoção da planta mais eficaz à medida que retarda o seu crescimento e desenvolvimento, tornando possível a extracção intensiva das margens do rio, a área onde a operação CHG centra o seu trabalho.

Especificamente, existem nove embarcações destinadas a monitorizar as secções sem presença aparente de plantas, localizadas em Medellín, Mérida e Badajoz. Neste trabalho de monitorização ACECA participa, co-financiado com fundos europeus no âmbito do programa INTERREG V-A Espanha-Portugal (POCTEP) com a acção de “Prevenção, monitorização e alerta para controlar a dispersão do jacinto de água no troço do rio Guadiana afectado entre Mérida e a fronteira com Portugal” contribuindo 8 operadores, 4 barcos ligeiros e 1 mecânico.

Mais três equipas de maquinaria são empregadas na extracção de grandes manchas no Guadámez, no município de Valdetorres.

Do mesmo modo, uma equipa de maquinaria está a trabalhar a montante de Mérida para assegurar a contenção e protecção da capital regional.

Finalmente, foram criadas duas equipas de maquinaria para completar o trabalho de extracção na zona de Lobón.